With plenty of ideas and expertise, Brazil opens for international investment in agritech firms.

With plenty of ideas and expertise, Brazil opens for international investment in agritech firms.

Com sobra de ideias e experiências, Brasil se abre para investimento internacional em agritechs

English: Brazilian Startups Want to Feed the World

Alimentar o mundo. Essas duas palavras são a chave para os grandes negócios e solução de alguns dos maiores problemas mundiais. A fome.

A produção agrícola global deve aumentar nos próximos anos para que a fome não avance. Isso é de conhecimento público. Ao lado das tecnologias, dezenas de startups brasileiras, ligadas ao agronegócio, têm mergulhado em pesquisas e conseguido avanços significativos para o setor.

De olho neste mercado promissor, investidores internacionais têm aportado recursos, ainda pequenos, nas startups agritech. Investir no agronegócio brasileiro é como dar vitamina para um futuro novo “unicórnio”, como são chamadas as startups que passam rapidamente a valer mais de um bilhão de dólares.

Maiores do mundo – Vendo essas perspectivas de ganhos, alguns empresários brasileiros investem na Cyklo Aceleradora de Projetos e Startups Agritech. A instalação fica na região central do Brasil, na divisa entre 4 estados. É uma das áreas mais planas, se não for a maior é uma das maiores, agriculturáveis, do mundo. A visão aérea nos mostra um verdadeiro mar, totalmente plano, só que em vez de água salgada, vemos brotar riqueza em #alimentos. A região tem o título de maior produtor de grãos na relação produção / hectare, do mundo.

Algumas das startups estão atentas para as novas tecnologias. Uma delas, acelerada pela Cyklo, desenvolveu com sucesso, uma tecnologia onde o CO2 faz aumentar significativamente o tamanho da planta, sem prejuízo à saúde. Outra startup desenvolveu um fertilizante orgânico, que mantém as mesmas propriedades nutricionais, e que pode ser aplicada em larga escala.

Na “fornada” atual, a Cyklo acelera 10 startups, algumas com potencial para brigar, por exemplo, com o Google Maps. Como é o caso da tecnologia que mapeia fazendas. Para termos uma ideia, uma das fazendas da região tem mais de 200 quilômetros internos de estrada de chão. De fato, o #GoogleMaps não consegue nos levar até a sede da fazenda. Enquanto isso, a startup local desenvolveu o sistema, que além de nos levar até a sede das fazendas, ainda mapeia todas as referências das estradas locais.

Investimentos ainda escassos

As startups sofrem com a falta de recursos. O resultado é fruto da economia brasileira, que vive instabilidades. Mas investidores internacionais começam a abrir os olhos para essa riqueza que brota da #terra. É o caso da multinacional Alvarez & Marsal (A&M), consultoria focada em gestão e reestruturação.

Em recente contrato assinado, a A&M se tornou a mais nova investidora da #Cyklo #Agritech. O investimento foi feito por meio do seu fundo de capital de risco “#Next”, lançado este ano e direcionado a startups e inovação.

“Nossa meta é alimentar o mundo, temos capacidade, área, pessoal e técnica para isso”, diz Pompeo Scola, CEO da Cyklo. A aceleradora foi inaugurada no segundo semestre de 2019 em #LuísEduardoMagalhães, no oeste baiano, um dos principais polos agrícolas brasileiros, com destaque para #soja, #milho, #algodão e #pecuária de #altatecnologia.

Cerca de 30% dos clientes A&M estão relacionados ao agronegócio. “Isso contribuiu na decisão de fazerem aporte de recursos na Cyklo Aceleradora de Startups Agritech, a fim de apoiar as startups que estamos acelerando no esforço de desenvolver inovações capazes de impulsionar ainda mais a produção brasileira de alimentos”, pontua o CEO.

“Estamos instalados próximos ao campo, a centros de pesquisas e a universidade. Com isso, as nossas startups conseguem trabalhar diretamente no local onde a solução é desenvolvida, o que permite a elas entender melhor o problema e encaminhá-lo mais rápido e eficientemente”, acrescenta Pompeo Scola, ao enfatizar que esse foi um fator decisivo para atrair os primeiros investidores da Cyklo, que agora começa a receber novos parceiros estratégicos.

“Com a digitalização do nosso dia-a-dia, no campo não poderia ser diferente. E surgem startups em várias regiões do nosso País. Temos totais condições, de assumir o protagonismo na agricultura #tropical. Isso deverá estar acontecendo já em #largaescala, num futuro próximo”, afirma o engenheiro #agrônomo, George Hiraiwa, de Londrina, no Paraná. O Estado é um dos líderes nacionais em #produção de #alimentos. Hiraiwa é envolvido com diversas startups #agritech na região.

Agritech

Otimistas, dos brasileiros da #agricultura, 53% utilizam pelo menos uma tecnologia ou estão dispostos a adotar uma nas próximas duas safras. #Realidadevirtual e #drones são as tecnologias mais adotadas, enquanto há disposição para a adoção de #sensoriamento remoto, telemetria e Internet das Coisas “#IoT”.

#agronegócio #agricultura #agriculture #agro #agritech #agtech #soja #milho #algodão

No Comments

Leave a Reply

Nas Redes

logo_by
× Como posso te ajudar?